Pages

Saturday, September 22, 2007

Novo Programa de EMRC


Chegou um novo ano lectivo e com ele novidades no âmbito da disciplina de EMRC, nomeadamente a tão aguardada aprovação dos novos programas. Para mais informações, consultar o site: www.emrcdigital.com

Tuesday, July 03, 2007

O Girassol

Sempre gostei de fazer algo de diferente com os alunos, nas últimas aulas. Este ano, resolvi fazer um marcador de livros com o símbolo da nossa disciplina: O Girassol!

Como a aula é de apenas 45 minutos, tenho de levar o trabalho preparado de modo a conseguirmos montar tudo com os alunos no tempo previsto. Levei os pauzinhos de gelado pintados de verde, o molde do girassol desenhado em espuma e um quadrado de feltro amarelo, já com a corola do girassol em feltro castanho, cozido.



Na aula, os alunos recortaram o molde do girassol na placa de espuma verde e com este, recortam também o feltro amarelo, tendo a atenção de centralizar a corola. Depois, colam o feltro à espuma, e estes ao pauzinho de gelado! Eu sei que parece muito simples e que se faz em 5 minutos, mas a realidade é que demorámos sempre os 45 minutos previstos da aula.


E aqui estão os marcadores, para celebrar mais um ano de EMRC. Uma disciplina que faz a diferença!

Friday, May 04, 2007

Ensinarás

“Ensinarás a voar…
mas não voarão o teu voo.
Ensinarás a sonhar…
mas não sonharão o teu sonho.
Ensinarás a viver…
mas não viverão a tua vida.
Ensinarás a cantar…
mas não cantarão a tua canção.
Ensinarás a pensar…
mas não pensarão como tu.
Porém, saberás que cada vez que voem,
sonhem, vivam,
cantem e pensem…
estará a semente do caminho ensinado e aprendido.”

Madre Teresa de Calcutá

Sunday, April 29, 2007

Um corpo cheio de Vida

Para as aulas do 1ºano:


Os alunos devem completar as frases, copiando as palavras que faltam.

in "Somos Amigos"
1ºano do Ensino Básico de EMRC

Os seis passos

Friday, April 27, 2007

Sementinha


Era uma pequena semente que foi lançada à terra. Que estranho lugar aquele! Era frio, escuro, não se via nada nem ninguém. Mas, passado algum tempo, a semente começou a sentir que a terra aquecia. O sol, seu amigo, poisava sobre ela os seus raios. Era bom sentir o calor! Outras vezes, o sol dava lugar à nuvem que ao passar deixava cair gotas de água para a refrescar. A semente achava que ia ficar diferente. Começou a espreitar e, lentamente, foi saindo da terra.Olhou para si e viu-se vestida de folhinhas verdes. Olhou à sua volta e viu flores de todas as cores e borboletas bailando sobre elas. O chilrear dos pássaros anunciava que chegara a Primavera. A vida nova enchia a terra inteira. O sol adormecia mais tarde e dava brilho a todas as coisas. O céu era muito azul e os pássaros voavam livremente. As rãs saltavam nos riachos e os grilos cantavam o dia todo. A transformação da semente ia sendo cada vez maior. Foi crescendo, crescendo, até que um dia se tornou numa grande árvore. A brisa passava e sacudia ternamente as suas folhas. Os pássaros encontravam ali o seu abrigo e os caminhantes refrescavam-se com a sua sombra e os seus frutos.As crianças brincavam e, quando estavam cansadas, encostavam-se ao seu tronco.

Se aquela semente não tivesse caído à terra, nunca chegaria a ser árvore!


Friday, April 06, 2007

Crucificação de Jesus

Pôncio Pilatos perguntou a Jesus se era Filho de Deus e Ele respondeu que sim. O governador achava que Jesus não tinha feito nada de mal e queria deixá-lO em liberdade, mas os sumos sacerdotes desejavam que morresse. Pilatos entregou Jesus seguindo as instruções dos sacerdotes, que O condenaram à morte. Jesus morreu crucificado no Calvário, um montículo dos arredores da cidade de Jerusalém.

Thursday, April 05, 2007

A última ceia


Jesus sabia que em breve morreria e desejava celebrar a última festa de Páscoa com os discípulos; estava triste e os discípulos não sabiam o que se passava. Jesus incitava-os a amarem-se uns aos outros como Ele os tinha amado. Durante a ceia, comeram pão e beberam vinho, e Jesus pediu-lhes que, sempre que se reunissem na Páscoa, se lembrassem d'Ele.


Tuesday, March 13, 2007

Símbolos da Páscoa


Fiz esta apresentação sobre os principais símbolos da Páscoa para os alunos do 2º ciclo. Normalmente utilizo o Keynote para fazer as minhas apresentações, pelo que não tenho em formato ppt, mas disponibilizo uma versão em formato pdf, Aqui.

Monday, March 12, 2007

Família

A Família é um tema abordado nas aulas de EMRC que atravessa os diferentes anos de escolaridade. Eu gosto imenso desta família e utilizo as imagens para fazer apresentações para as aulas.


Caixinha para a Páscoa

Para os alunos do 1º ciclo aqui deixo uma actividade muito simples, para fazer no curto período de tempo que é a nossa aula: uma caixinha para colocar os ovinhos e/ou amêndoas da Páscoa. Aconselho a levar para a aula, cordel ou lã para ajudar a atar as caixinhas.

Sunday, February 25, 2007

STOP


No início de qualquer caminhada é preciso estudar o caminho, ver onde ficar, prever os perigos: - É preciso parar: fazer STOP!

Ao iniciares esta Quaresma, faz STOP:

- para veres como em ti se cumpre o reinado de Deus;
- para te arrependeres das maldades e violências com que te deixas seduzir;
- para acreditares (com a inteligência, com o coração e com todas as tuas forças) no Evangelho, isto é, na Boa Notícia de que Deus nos ama infinitamente e quer fazer de nós filhos queridos, amados, escolhidos...

És capaz de parar? De fazeres uma pausa, para preparares o caminho? Vai um STOP?

in "Sinais de uma Caminhada" de João Ribeiro e Anabela Dias

Quaresma: Tempo do Perdão

Junto à estação de uma grande cidade, todos os dias se reuniam muitas pessoas marginais, isto é, mais ou menos rejeitadas pela sociedade: drogados, ladrões, miseráveis. Eles reuniam-se ali para se animarem uns aos outros.
Chamava a atenção de quem passava por ali um jovem, todo sujo e de cabeleira comprida, que se movimentava no meio dos outros com ar de quem tem ainda alguma esperança.
Quando as coisas pareciam correr muito mal, esse jovem tirava do bolso um bilhetinho todo amachucado e lia-o. Depois dobrava-o e voltava a metê-lo no bolso. Ás vezes, até o beijava. E assim, nesse mar de lamentos, sentia-se confortado.
O que estaria escrito nesse misterioso bilhetinho? Apenas seis pequenas palavras: "A porta pequena está sempre aberta":
Apenas isto. Era um bilhete que o pai lhe tinha enviado. Significava que seria perdoado a partir do momento em que voltasse para casa. E uma noite fê-lo. Encontrou a porta do jardim aberta. Subiu as escadas e deitou-se na cama.
Na manhã seguinte, quando acordou, junto ao leito estava o seu pai. Abraçaram-se em silêncio.


Comentário:
Este conto faz-nos recordar a conhecida parábola do filho pródigo. Este vive longe da casa do pai,o qual está ansioso por lhe dar o abraço da reconciliação e fazer uma grande festa. A Quaresma é o tempo em que nós assumimos a nossa condição de pecadores e pedimos perdão a Deus. Temos a garantia de que Ele tem a porta aberta e a mesa posta, esperando pelos que andam longe.

in "Bons Dias" de Pedrosa Ferreira

Wednesday, February 21, 2007

Se fossemos… a Quaresma seria…

Se fossemos automóveis, a Quaresma seria o tempo de mudar o óleo e afinar o motor;

Se fossemos jardins, a Quaresma seria o tempo de fertilizar a terra e arrancar as ervas;

Se fossemos tapetes, a Quaresma seria o tempo de dar-lhes uma aspiradela;

Se fossemos baterias, a Quaresma seria o tempo de recarregá-las.

Mas não somos nenhuma dessas quatro coisas.

Somos pessoas que, quiçá, muitas vezes fazemos coisas erradas e precisamos de nos arrependermo-nos delas. Daí a necessidade de nos confessarmos.

Somos pessoas que muitas vezes nos deixamos levar pelo nosso egoísmo e que precisamos de começar a pensar nos outros. Daí a necessidade da esmola.

Somos pessoas que muitas vezes, perdemos de vista o fim para o qual fomos criados por Deus. Precisamos, pois, de recuperar a visão. Daí a necessidade da oração.

Essa é a razão pela qual celebramos a Quaresma.

In Missa Dominical
Nota: Este é o texto que utilizo para abordar o tema da Quaresma no 2º ciclo.

Monday, February 19, 2007

A Raposa e o Principezinho


Foi então que apareceu a raposa.
- Bom dia - disse a raposa
- Bom dia - respondeu delicadamente o principezinho, que se voltou mas não viu nada.
- Estou aqui- disse a voz- , debaixo da macieira.
- Quem és?- disse o principezinho. - És bem bonita...
- Sou uma raposa - disse a raposa.
- Anda brincar comigo- pediu-lhe o principezinho.- Estou tão triste...
- Não posso brincar contigo disse a raposa.- Não estou cativada.
- Ah! Desculpa,- disse o principezinho.
Mas, depois de reflectir, acrescentou:
- O que significa "cativar"?
- Não és daqui- disse a raposa-, o que procuras?
- Procuro os homens,- disse o principezinho.- O que significa "cativar"?
- Os homens- disse a raposa- têm espingardas e caçam. É muito aborrecido! Também criam galinhas. É a única coisa interessante que têm. Estás à procura de galinhas?
- Não- disse o principezinho-, procuro amigos. O que significa "cativar"?
- É uma coisas demasiado esquecida- disse a raposa.- Significa "criar laços...".
- Criar laços?
- Isso mesmo- disse a raposa.- Para mim tu não passas ainda de um rapazinho semelhante a cem mil outros rapazinhos. E não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Para ti eu não passo de uma raposa semelhante a cem mil outras raposas. Mas, se me cativares, precisaremos um do outro. Para mim tu serásúnico no Mundo. Para ti eu serei única no Mundo...
- Começo a compreender,- disse o principezinho.- Há uma flor... penso que ela me cativou...

in "O Principezinho", de Antoine de Saint Exupéry

Friday, February 09, 2007

Ser professora de EMRC

Ser professora de EMRC pode ser muito solitário. Sou a única professora da disciplina na escola, e apesar de adorar o que faço, muitas vezes sinto a necessidade de partilhar temas, métodos, trabalhos e actividades... Resolvi, então, transformar este blog num espaço de partilha e reflexão sobre a disciplina de EMRC. Mais concretamente sobre o desafio que é ser professora de EMRC!